UE dificilmente participará na reconstrução do Iraque

Será muito difícil para a União Européia (UE) participar dentro dos esforços de reconstrução do Iraque, disse hoje o porta-voz da presidência da Comissão Européia, Reijo Kemppinen. Segundo ele, a intervenção bélica é uma decisão unilateral, sem o respaldo do Conselho de Segurança. Acrescenta, entretanto, que "não significa que não acontecerá", deixando claro ainda que Bruxelas separa bem ajuda humanitária de reconstrução.Kemppinen reitera que caberá às Nações Unidas o trabalho de demanda e organização internacional das ajudas humanitárias e essas, sim, já têm verba separada, hoje no valor de US$ 16 milhões. O porta-voz refere-se a um montante que já seria destinado ao Iraque como ajuda humanitária. Dentro do orçamento comunitário, o caixa disponível para emergências hoje é na ordem de US$ 267,5 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.