Vahid Salemi/AP
Vahid Salemi/AP

UE dificulta acesso de bancos iranianos a serviços financeiros

Medida faz parte das sanções impostas ao país com a meta de inibir seu programa nuclear

Efe,

15 de março de 2012 | 11h20

BRUXELAS - A União Europeia (UE) aprovou nesta quinta-feira, 15, retirar o acesso de bancos e empresas iranianas aos serviços de mensagem financeira, incluída a rede Swift, o mecanismo deste tipo mais utilizado no mundo todo.

 

Veja também:

tabela ESPECIAL: Irã nuclear

A medida está incluída no texto que detalha as sanções às pessoas e instituições iranianas vinculadas ao programa nuclear do país.

O documento, aprovado hoje, será publicado nesta sexta-feira no Diário Oficial da UE e é a base jurídica que permitirá a aplicação de parte das decisões políticas estabelecidas pelos ministros das Relações Exteriores europeus em 23 de janeiro.

Outras medidas, como o embargo às importações de petróleo iraniano, será incluído numa resolução que deverá ser aprovada em algumas semanas, segundo indicaram nesta quinta-feira à Agência Efe fontes diplomáticas.

Entre os afetados pelas sanções europeias estão o Banco Central do Irã e várias instituições financeiras do país, que além de terem seus ativos congelados na Europa, não poderão utilizar o Swift (com sede na Bélgica) e outros serviços de mensagem financeira, usados no mundo todo para efetuar transferências internacionais.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Irã nuclearsançõesEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.