UE discute sanções econômicas contra a Rússia

O ministro de Relações Exteriores do Reino Unido, William Hague, disse nesta segunda-feira que a União Europeia (UE) vai discutir novas sanções contra a Rússia devido à invasão de militantes pró-russos a prédios do governo da Ucrânia no leste do país.

Agência Estado

14 de abril de 2014 | 09h05

Durante entrevista coletiva em Luxemburgo, onde os ministros de Relações Exteriores estão reunidos, Hague disse que esses novos ataques no leste ucraniano devem ser respondidos com consequências adicionais à Rússia.

"Vamos continuar a ser muito abertos a todas as opções diplomáticas para apoiar os grupos de negociações que tentam acalmar essa nova crise. Também é importante discutir o ''timing'' e a extensão para novas sanções contra autoridades russas para concluir os preparativos do terceiro nível de medidas", disse.

"É muito importante discutir essa situação em detalhes entre os ministro da UE hoje", completou. Questionado sobre quando essa terceira fase de sanções econômicas poderia ser aplicada, o ministro britânico disse que a decisão "depende do curso dos eventos". "Isso será uma consequência pela ação da Rússia nessa crise", advertiu.

Enquanto UE e Estados Unidos implementaram sanções econômicas e restrições a viagens contra autoridades russas e ucranianas responsáveis pela anexação da Crimeia, os estados membros do grupo - de forma independente - estão longe de optar por impor medidas mais rigorosas contra o governo russo. Alguns membros, como o Chipre se mostram relutantes devido a seus laços comerciais próximos com Moscou, principalmente no setor bancário e do turismo.

A maioria dos países, principalmente a Alemanha, também é altamente dependente do fornecimento do gás russo e pressionam na tentativa de encontrar uma solução mais diplomática. Qualquer acordo para novas sanções por parte da UE deve ser aprovada pelos 28 estados membros. Fonte: Market News International.

Tudo o que sabemos sobre:
UESANÇÕESRÚSSIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.