UE é contra julgamento internacional do muro israelense

Diplomatas europeus disseram que a União Européia expressou por escrito à Corte Internacional de Justiça, em Haia, na Holanda, sua oposição à abertura de audiências no dia 23 para julgar a legalidade da barreira Israel constrói na fronteira com a Cisjordânia, apropriando-se, em vários trechos, de terras palestinas. A UE se opõe à obra, mas alega que o julgamento em Haia prejudicará esforços para a retomada do processo de paz. O diário britânico The Guardian havia antecipado na semana passada que a Grã-Bretanha iria se opor, porque o julgamento da legalidade - pedido pela Assembléia-Geral da ONU - abriria um precedente. O governo teme que ações dos soldados britânicos no exterior possam ser levadas ao tribunal. A corte normalmente arbitra disputas marítimas ou territoriais a pedido de países beligerantes. Israel alega que a questão é política e não legal, mesma posição dos EUA e da UE.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.