UE e EUA voltam a pedir ao Irã que aceite incentivos

A União Européia (UE) e os Estados Unidos voltaram a pedir nesta quinta-feira que o Irã aceite a proposta internacional de incentivos com o objetivo de resolver a disputa nuclear e suspender o programa de enriquecimento de urânio do país.Caso contrário, ameaça o governo americano, os países ocidentais recorrerão ao Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) em busca de sanções contra Teerã."Esperamos que os líderes iranianos pensem no que é melhor para a prosperidade econômica e para a segurança a longo prazo de seu povo", manifestou o embaixador americano Gregory Schulte.Em Teerã, os líderes da república islâmica enviaram sinais contraditórios com relação à resposta do país à oferta feita por Alemanha, China, EUA, França, Grã-Bretanha e Rússia.Enquanto o aiatolá Ali Khamenei, líder supremo do Irã, dizia que o país jamais abrirá mão de seu programa nuclear, o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, e o enviado de Teerã à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Ali Ashgar Soltanieh, afirmavam que o governo do Irã está pronto para ingressar em negociações.Em Xangai, na China, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse depois de uma reunião com Ahmadinejad que o líder iraniano confirmou estar pronto para negociar a situação com base nos incentivos oferecidos pelas seis potências.O enriquecimento de urânio é um processo necessário para a geração de combustível para o funcionamento das usinas nucleares. Em grande escala, o enriquecimento de urânio também pode resultar em material próprio para carregar ogivas atômicas.Os EUA acusam o Irã de desenvolver em segredo um programa nuclear bélico. O governo iraniano nega e assegura que suas usinas atômicas têm fins estritamente pacíficos de geração de energia elétrica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.