UE e Kosovo enviam funcionários a controle na fronteira sérvia

A polícia da União Europeia e de Kosovo e funcionários aduaneiros foram enviados a dois cruzamentos disputados na fronteira com a Sérvia no norte predominantemente sérvio do país, nesta sexta-feira, disse uma autoridade, em meio a temores de que a medida possa provocar violência étnica.

BRANISLAV KRSTIC E FATOS BYTYCI, REUTERS

16 Setembro 2011 | 12h31

Soldados fortemente armados da força Kfor, da Otan, também isolaram os dois cruzamentos em uma tentativa de evitar qualquer violência.

"Equipes mistas estão na fronteira. Elas foram enviadas por helicópteros", disse o ministro do Interior de Kosovo, Bajram Rexhepi, à Reuters.

O governo de Kosovo quer restabelecer sua presença na região norte, que se submete a Belgrado, três anos depois de Kosovo - que tem maioria albanesa - declarar independência da Sérvia.

O primeiro-ministro kosovar, Hashim Thaci, disse que a ação não visava a nenhum grupo étnico, incluindo sérvios do norte. "Peço a Belgrado que finalmente abandone suas tentativas desesperadas de desestabilizar a região e aceite de uma vez por todas que Kosovo é independente, soberano e indivisível", disse.

Em julho Kosovo tentou instalar a polícia e a alfândega nos dois cruzamentos, compostos anteriormente por sérvios étnicos, na maioria. No entanto, sérvios armados os afastaram dali, provocando a intervenção de soldados da Otan. Um policial de etnia albanesa foi morto durante os confrontos.

A Sérvia, que se opõe à independência de Kosovo, advertiu que a posse dos cruzamentos pode levar a confrontos, mas pediu calma nesta sexta-feira.

Mais conteúdo sobre:
UE KOSOVO SERVIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.