UE está pronta para ajudar companhias aéreas

A Comissão da União Européia (UE) permitirá que os governos da ajudem as companhias aéreas a cobrirem custos decorrentes da guerra no Iraque. As medidas, semelhantes àquelas adotadas pelo UE após os atentatos terroristas em 11 de setembro de 2001, focam decisões que os países-membros podem adotar para ajudar suas companhias aéreas sem distorcer a concorrência.Segundo os planos que deverão ser divulgados amanhã, os governos da UE poderão conceder garantias para seguro contra guerra caso as seguradoras privadas cancelem essas apólices, como o fizeram após os ataques terroristas nos EUA. Os países da UE também poderão ajudar as operadoras a cobrir custos resultantes de forte segurança nos aviões ou em aeroportos. Por outro lado, a Comissão disse que bloqueará medidas adotadas pelos governos da UE visando compensar suas companhias aéreas domésticas "por perdas diretas". A única época em que esse tipo de ajuda foi permitido foi quando os EUA fecharam o seu espaço aéreo durante quatro dias em 2001. A Comissão informou que monitorará os desenvolvimentos nos EUA a fim de evitar qualquer distorção da concorrência em rotas do transatlântico que possa resultar de qualquer ajuda de bilhões de dólares às companhias aéreas norte-americanas.Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.