UE estuda elevar repasse a agências na África

A fome em algumas regiões da Somália representa uma chance para a busca por um acordo de paz no conturbado país africano, afirmou hoje em Genebra a comissária europeia de ajuda humanitária, Kristalina Georgieva. "Talvez nós devêssemos olhar para essa crise como uma oportunidade para atrair mais a atenção do mundo para o que acontece na Somália", disse ela, em entrevista concedida hoje à Associated Press. A comissária informou que a União Europeia (UE) tem planos de elevar os repasses às agências humanitárias envolvidas na ajuda às mais de 11 milhões de pessoas afetadas pela seca e pela fome na região conhecida como Chifre da África.

AE, Agência Estado

21 de julho de 2011 | 19h08

Kristalina observou, no entanto, que a ajuda emergencial de curto prazo precisa ser acompanhada de programas que garantam a sobrevivência da população local em caso de novas secas no futuro. Para tanto, ressalta a comissária, seria necessário um esforço conjunto que envolva "a comunidade internacional, o povo somali e seus líderes".

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) considera a seca na Somália e a crise de refugiados provocada pela estiagem "a mais grave emergência humanitária em andamento no mundo". A Cruz Vermelha Internacional adverte que uma em cada dez crianças do sul da Somália sofre de desnutrição aguda. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SomáliaUEcomissáriafomepaz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.