UE exige libertação imediata de soldados britânicos

A presidência rotativa alemã da União Européia (UE) exigiu ao Irã, neste sábado, 24, a imediata libertação dos 15 militares britânicos detidos na última sexta-feira pela força naval iraniana por se encontrarem em águas do país. A exigência será formalizada ao longo do dia em uma declaração comum da UE, informou o ministro de Assuntos Exteriores alemão, Franz-Walter Steinmeier, em Berlim. O chefe da diplomacia alemã acrescentou que os iranianos confirmaram a detenção dos militares por terem supostamente entrado em suas águas. Os militares realizavam operações rotineiras de inspeção em águas territoriais iraquianas quando foram aprisionados por navios da Marinha iraniana por volta das 10h30 (hora local), segundo a versão do Ministério da Defesa do Reino Unido.Em comunicado, a Defesa britânica disse que o pessoal capturado tinha completado a inspeção com sucesso de um navio mercante quando suas duas embarcações foram cercadas e escoltadas por navios do Irã até águas territoriais do país.Os militares, fuzileiros navais da Marinha, que pertencem à fragata "HMS Cornwall", foram capturados sob a mira de armas, segundo a rede pública britânica BBC. A detenção dos marines britânicos ocorre em um momento de grande tensão entre o Irã e a comunidade internacional, especialmente Estados Unidos e Reino Unido, devido às atividades nucleares de Teerã.Também neste sábado o Conselho de Segurança da ONU votará sanções ao Irã. As medidas têm como objetivo coibir o enriquecimento de urânio no país. Steinmeier se mostrou otimista a respeito da possibilidade de levar adiante ainda neste fim de semana a resolução da ONU que endurece as sanções contra o Irã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.