UE lança plano para ex-repúblicas soviéticas

Em uma medida que promete causar polêmica, a União Européia anunciou ontem um pacote milionário para promover uma maior influência de Bruxelas sobre as ex-repúblicas soviéticas e conseguir, no futuro, reduzir a dependência européia do gás russo. Ucrânia, Geórgia e outros quatro países devem receber apoio da UE para reformar suas instituições e fortalecer a democracia. A região é considerada pelo Kremlin como sua zona de influência. O presidente da Comissão Européia, José Manuel Barroso, admitiu que o conflito na Geórgia, envolvendo ataques e ameaças russas, demonstrou que a aproximação européia com a região era necessária: "Estamos propondo um plano ambicioso, e os eventos na Geórgia influenciaram essa decisão."Entre as medidas do pacote estão planos de ajuda financeira, facilidades de visto para turistas e acordos de livre comércio com o bloco, que inclui Armênia, Azerbaijão, Bielo-Rússia e Moldávia. O objetivo central dos europeus, contudo, parece ser garantir acesso privilegiado às reservas de petróleo e de gás dos países do Cáucaso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.