UE mantém possibilidade de novas sanções ao Irã

Os ministros de Relações Exteriores daUnião Européia vão alertar na semana que vem o Irã para apossibilidade de novas sanções caso o país não suspenda seuprograma de enriquecimento de urânio, disseram diplomatas naquinta-feira. Mas o texto preliminar definido por embaixadores da UEevita responder diretamente à proposta francesa de que ospaíses do bloco considerem sanções próprias sem esperar novasmedidas da ONU, uma idéia que provoca divisão entre oseuropeus. De acordo com o texto preliminar, a UE iria "considerar quemedidas adicionais pode tomar a fim de apoiar o processo da ONUe os objetivos partilhados da comunidade internacional". O texto diz que os ministros, que se reúnem nas próximassegunda e terça-feira, vão pedir a especialistas que "forneçamconselhos" sobre possíveis novas ações. As potências ocidentais desconfiam que o Irã estejadesenvolvendo armas nucleares, mas aceitaram adiar novassanções pelo menos até novembro, à espera de um relatório donegociador da UE, Javier Solana. Teerã garante que seu programaatômico é pacífico. Autoridades dos cinco membros permanentes do Conselho deSegurança da ONU (EUA, China, Rússia, França e Grã-Bretanha),mais a Alemanha, voltam a se reunir na quarta-feira que vem emBerlim para discutir o impasse com o Irã, segundo um diplomata. O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, SeanMcCormack, disse a jornalistas em Washington na quarta-feiraque a reunião das seis potências vai discutir os termos de umanova resolução da ONU com sanções ao Irã. O Conselho de Segurança já aprovou dois pacotes de puniçõesao Irã por sua recusa em suspender o enriquecimento de urânio.Rússia e China são contra uma terceira rodada de sanções porenquanto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.