Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

UE pede a Belgrado que proteja embaixadas estrangeiras

A União Européia (UE) pediu nasexta-feira à Sérvia que se empenhe mais na proteção dasembaixadas atacadas por manifestantes contrários àindependência de Kosovo, pois a violência pode afetar os laçosentre o bloco e Belgrado. Na véspera, a missão norte-americana foi incendiada e umcorpo, ainda não-identificado, foi encontrado dentro do local.As representações britânica, alemã, croata e turca também foramatacadas. Participando de um evento na Eslovênia, o chefe de políticaexterna da UE, Javier Solana, disse a jornalistas que osincidentes podem prejudicar a conclusão do Acordo deEstabilização e Associação (AEA), primeiro passo para a adesãosérvia ao bloco europeu. "As coisas vão ter de se acalmar antes que possamosrecuperar o clima que permitiria qualquer contato para avançarno AEA", disse Solana. O comissário (ministro) europeu para a Expansão da UE, OlliRehn, declarou que o bloco respeita o direito democrático de opovo sérvio protestar contra a perda de Kosovo, mas alertou que"o uso da violência para expressar opinião é inaceitável". "Peço às autoridades sérvias que garantam a proteçãoadequada para missões diplomáticas no país", afirmou Rehn emnota. A negociação do AEA foi iniciada em 2007, mas a UE diz quesó vai assinar o pacto se Belgrado cooperar plenamente com otribunal penal da Organização das Nações Unidas (ONU) para aex-Iugoslávia. "Eu só gostaria que a polícia sérvia interviesse maisrapidamente", disse o ministro da Defesa alemão, Franz JosefJung, ecoando reclamações dos EUA pela falta de proteção àslegações diplomáticas. Em nota, Solana elogiou o presidente da Sérvia, opró-europeu Boris Tadic, por tentar acalmar a situação, masdisse que a reação das autoridades como um todo foiinsuficiente. Cerca de 200 mil pessoas participaram na quinta-feira deuma manifestação convocada pelo governo contra a independênciada Província de Kosovo, vista por nacionalistas como o berço danação sérvia -- apesar de hoje em dia ter maioria étnicaalbanesa. Essa foi a maior manifestação popular em Belgrado desdeoutubro de 2000, quando uma multidão invadiu o Parlamento paradepor o ditador Slobodan Milosevic. (Reportagem de Mark John)

REUTERS

22 de fevereiro de 2008 | 10h26

Tudo o que sabemos sobre:
UESERVIAEMBAIXADAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.