UE pede apoio da Rússia contra violência na Ucrânia

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, pediu nesta quinta-feira que a Rússia pare de fazer ações militares na região da Ucrânia, dizendo que ele havia discutido os últimos incidentes com o novo presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko.

AE, Agência Estado

12 de junho de 2014 | 20h58

Barroso, que estava na Geórgia em uma reunião com o presidente do país, Giorgi Margvelashvili, disse que Poroshenko se mostrou preocupado com a suposta invasão de tanques russos na Ucrânia hoje.

"O presidente Poroshenko me transmitiu a sua extrema preocupação com a agitação contínua armada no leste da Ucrânia e também com o incidente de hoje dos tanques russos", disse Barroso.

Mais cedo, o ministro do Interior da Ucrânia, Arsen Avakov, disse que três tanques atravessaram a fronteira do país vindos do território russo e foram atacados pelas forças oficiais de segurança. Não há informações se os veículos são oficiais da Rússia ou se são de milícias mercenárias.

Barroso disse que a União Europeia tem apelado repetidamente à Rússia para cessar "qualquer tipo de ação militar nesta área".

"Então, mais uma vez, faço um apelo à Rússia para participar de forma construtiva com a Ucrânia e que dê passos concretos e evidências claras de esforços para diminuir a violência na região". Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
UERússiaUcrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.