UE planeja congelar bens de ex-governante da Tunísia

A União Europeia (UE) disse hoje que planeja congelar os bens e ativos do presidente deposto da Tunísia, Zine El Abidine Ben Ali, e de sua esposa, a ex-primeira-dama Leila Trabelsi. No encontro mensal dos 27 chanceleres dos países do bloco, os ministros afirmaram que também farão esforços para ajudar a Tunísia a se mover em direção a uma regime plenamente democrático, após a autocracia de Ben Ali, que durou 23 anos. O ex-governante tunisino e sua mulher fugiram em 14 de janeiro, em meio a uma revolta popular, para a Arábia Saudita.

AE, Agência Estado

31 de janeiro de 2011 | 20h56

A Tunísia emitiu ordens internacionais de prisão contra Ben Ali, o acusando de corrupção e de tirar dinheiro ilegalmente do país. Em Bruxelas, a UE informou que, em coordenação com as novas autoridades da Tunísia, "adotou medidas restritivas contra indivíduos responsáveis pela apropriação indevida de fundos do Estado" tunisino. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
presidentedepostobensTunísiaUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.