UE pode compensar produtores afetados por bactéria

Ministros de Saúde da União Europeia (UE) discutirão em reunião amanhã como compensar os produtores prejudicados pelo surto da bactéria Escherichia coli (E.coli), que derrubou o consumo de frutas e vegetais na região. "Considerando uma ação legal, a ideia é chegar a algo amanhã, que cubra não apenas agricultores que são membros de uma organização", mas todos os afetados, disse um porta-voz da Comissão Europeia. "Nós vimos uma queda do consumo em toda a Europa, no que se refere às frutas e aos vegetais. A crise tem tido um impacto em toda a Europa."

GABRIELA MELLO, Agência Estado

06 de junho de 2011 | 09h24

O porta-voz afirmou que as opções incluem possibilidades existentes na política agrícola comum, na qual produtores de associações têm direito a um cofinanciamento da UE, limitado a 5% do valor da produção a cada ano. Estados membros do bloco também poderão distribuir ajuda aos agricultores, mas qualquer quantia superior a 7.500 euros por produtor durante três anos precisaria ser aprovada por autoridades de competitividade da UE, acrescentou o porta-voz.

A comissão europeia também espera resolver a situação com o governo russo, que proibiu a importação de vegetais frescos do bloco, antes da cúpula entre UE e Rússia, marcada para a próxima quinta-feira. "Nós achamos que a abordagem russa foi desproporcional", afirmou uma porta-voz. "Esperamos encontrar uma solução antes da cúpula." As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.