UE pode rever ajuda ao Quênia

A ajuda financeira da UniãoEuropéia ao Quênia pode ser afetada durante a revisão dasrelações bilaterais promovidas pelo bloco diante daspreocupações com a lisura da recente eleição presidencialqueniana, disse na segunda-feira o comissário europeu deDesenvolvimento, Louis Michel. "É difícil manter o mesmo nível de apoio orçamentário sevirmos que a eleição não foi totalmente respeitada", disseMichel em reunião com a Comissão de Desenvolvimento doParlamento Europeu. A oposição queniana apontou fraude na votação que reelegeuo presidente Mwai Kibaki em 27 de dezembro, e centenas depessoas morreram nos distúrbios étnico-políticos registradosdesde então. A crise afetou a economia do Quênia, que era umadas mais prósperas da região, e prejudicou também oabastecimento de países do centro e leste da África sem acessoao mar. "Não estamos em situação de dizer que há normalidade, deforma alguma. Temos de adaptar nossas relações", disse Michel. A UE é um dos principais doadores de ajuda para o Quênia.Entre 2002 e 2007, o bloco forneceu 290 milhões de euros (431milhões de dólares). Outros 383 milhões de euros estavamplanejados para o período 2008-2013. Uma delegação de "africanos iminentes", liderada peloex-secretário-geral da ONU Kofi Annan, chega na terça-feira aoQuênia para tentar promover um diálogo entre Kibaki e o líderoposicionista Raila Odinga, candidato derrotado na eleição. Osdois líderes quenianos não se encontram desde o pleito. (Por Huw Jones)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.