UE prende 75 pessoas por tráfico humano

A polícia européia desarticulou umarede iraquiana que traficava imigrantes ilegais mediante umvalor de até 12 mil euros (18.630 dólares) por pessoa,informaram autoridades na segunda-feira. "Esta foi uma das maiores operações coordenadas contratraficantes de pessoas e empregou mais de 1.300 policiais",disseram em um comunicado a Europol, polícia do bloco com sedeem Haya, e a Eurojust, agência de cooperação judicial. As entidades informaram que a polícia prendeu 75 pessoas eminvestigações conjuntas na Bélgica, França, Alemanha, Grécia,Irlanda, Noruega, Holanda, Suécia e Grã-Bretanha. "Todos os suspeitos estariam envolvidos no tráficoclandestino de um grande número de imigrantes ilegais dentro daUnião Européia", disseram a Europol e a Eurojust. A investigação, denominada "Operação Bagdá", levou a umarede que envolve principalmente iraquianos e foi coordenadapelo Eurojust a pedido de magistrados franceses, queestabeleceram Paris como centro das operações conjuntas. A rede é acusada de transportar imigrantes ilegais doAfeganistão, China, Turquia e Bangladesh para os países membrosda UE. Acredita-se que um dos principais membros do grupo,baseado na França, tenha traficado cerca de 280 pessoas em seismeses. Os imigrantes pagaram entre 10 mil e 12 mil euros eviajavam em caminhões, ônibus, botes ou aviões que saíam doIraque para a Europa, via Turquia, segundo a Europol e aEurojust. Os parlamentares da UE aprovaram na semana passada uma leique estabelece que os imigrantes ilegais podem ser detidos poraté 18 meses e proibidos de voltar aos países do bloco por atécinco anos, medidas duramente criticadas em todo o mundo. A Comissão Européia estima que cerca de 8 milhões deimigrantes ilegais vivam na Europa. Mais de 200 mil forampresos no primeiro semestre de 2007 -- pouco menos da metadefoi repatriada. (Reportagem de Emma Thomasson)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.