UE prevê ao menos 7 meses para vacina antigripe suína

A Comissão Europeia está em contato com o setor de saúde para a preparação de vacinas contra qualquer possível surto de gripe suína na Europa, disse hoje o diretor-geral de saúde e proteção ao consumidor da Comissão Europeia, Robert Madelin. A Comissão também fez contato com a Agência de Medicamentos Europeia para acelerar um protocolo para desenvolver uma vacina contra o novo vírus, afirmou ele. "A indústria de vacinas está trabalhando o mais rápido possível para desenvolver isso", disse. O primeiro passo é ter acesso aprovado a uma cepa do novo vírus. Depois disso, o desenvolvimento de uma nova vacina levaria cerca de sete meses, disse Frank De Look, especialista em saúde da Comissão. "Ainda não temos uma cepa aprovada", acrescentou.

AE, Agencia Estado

27 de abril de 2009 | 12h39

A farmacêutica britânica GlaxoSmithKline disse hoje que desde o início da crise já forneceu 100 mil pacotes de seu medicamento antiviral Relenza e 170 mil doses adicionais de vacina contra gripe sazonal para as autoridades mexicanas. A segunda maior farmacêutica do mundo acrescentou que "está preparada para dar início a discussões com autoridades locais para a fabricação de uma vacina que ajude a combater essa nova linhagem do vírus", assim que uma cepa adequada for disponibilizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A norte-americana Baxter, do setor de biotecnologia, disse que está trabalhando com a OMS sobre uma possível vacina contra a doença, informou o jornal "Chicago Tribune". A empresa tem operações emergentes de vacina e trabalhou em vacinas contra a gripe aviária no passado. De acordo com o jornal, a Baxter pediu amostras do vírus para testes laboratoriais.

A suíça Roche disse que pode aumentar a produção de seu antiviral Tamiflu, caso necessário, enquanto a também suíça Novartis foi contatada pela OMS sobre o desenvolvimento de uma vacina. A empresa disse que já recebeu informação preliminar sobre o vírus, mas precisa de uma amostra para ter início ao desenvolvimento de uma vacina, afirmou o porta-voz Eric Althoff.

Em Paris, a Sanofi-Aventis disse que está "preparada para avaliar suas capacidades e contribuir para os esforços de saúde, caso a OMS e outras autoridades peçam ajuda dos fabricantes de vacina contra a doença", disse um porta-voz. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
gripe suínavacina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.