UE proíbe maioria dos vôos de empresa aérea do Paquistão

A União Européia proibiu nesta segunda-feira, 5, a maioria dos aviões da Pakistan International Airlines´ (PIA) de voarem para os 27 países do bloco e suspendeu as restrições impostas a outras duas companhias que antes estavam em sua lista negra. A Comissão Européia disse que apenas os sete Boeing 777 da PIA poderão voar para a UE. Os outros 42 aviões da companhia serão vetados por razões de segurança. A preocupação da UE concentra-se em problemas de manutenção e nos aviões antigos, especialmente o Boeings 747 e Airbus 310. A companhia aérea estatal foi avisada no ano passado que a maior parte de seus aviões não se enquadrava nos padrões internacionais, apesar de a PIA ter afirmando que a decisão da UE foi surpreendente. Não houve nenhum comentário imediato da empresa nesta segunda-feira, 5. A Comissão anunciou que a companhia tailandesa Phuket Air foi retirada da lista de empresas aéreas proibidas por ter se enquadrado nos padrões de segurança da UE. A companhia de cargas africana DAS Air Cargo também foi removida da lista negra. "Pela primeira vez, as duas companhias foram retiradas da lista negra após terem tomado medidas decisivas para solucionar suas falhas", disse o comissário de Transportes da UE, Jacques Barrot. "Isso mostra que nossa lista não é apenas uma proteção essencial contra operações inseguras, mas também é um grande e efetivo incentivo para as companhias que não cumprem as normas internacionais de segurança", disse ele em comunicado. A UE ampliou a suspensão imposta à empresa do Sudão Air West para todos os aviões da companhia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.