UE proíbe presidente sírio de viajar à Europa e congela seus bens

Outras autoridades do governo sírio também são alvos de sanções europeias

Efe e Associated Press

23 de maio de 2011 | 09h32

BRUXELAS - Os ministros de Relações Exteriores dos países da União Europeia (UE) decidiram nesta segunda-feira, 23, sancionar o presidente da Síria, Bashar al Assad, proibindo-o de viajar à Europa e congelando seus bens na região em resposta à repressão aos protestos no país árabe.

 

Veja também:

blog GUSTAVO CHACRA: Levantes não seguem linha sectária

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

mais imagens Galeria de fotos: Veja imagens dos protestos na região

 

Fontes diplomáticas confirmaram à Agência Efe que os representantes dos 27 países firmaram um pacto de ampliar a lista de personalidades do regime que serão sancionadas, que contava com 13 nomes.

 

As identidades dos novos sancionados serão anunciadas a princípio nesta terça-feira com a divulgação da decisão no Diário Oficial da UE.

 

Além de Assad serão acrescentados à lista outras nove pessoas consideradas responsáveis pela reação governamental contra os manifestantes, segundo fontes diplomáticas.

 

As sanções contra Assad representam um reforço da pressão europeia sobre Damasco para que detenha a repressão e aceite uma negociação com a oposição que inicie um processo de reformas democráticas em linha com as demandas da população.

 

Irã

 

A União Europeia também anunciou novas sanções contra o Irã por preocupações com seu programa nuclear. Os ministros decidiram impor o congelamento de ativos e a proibição de viagens em oficiais iranianos e companhias ligadas ao programa nuclear.

 

No mês passado, a UE havia imposto sanções contra 32 autoridades do Irã por abusos de direitos humanos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.