UE prometerá 436 milhões de euros aos palestinos

A Comissão Europeia (Poder Executivo da União Europeia) anunciou na sexta-feira que deve oferecer no mês que vem 436 milhões de euros aos palestinos para ajudar na reconstrução da Faixa de Gaza depois da recente guerra contra Israel. A promessa será feita na conferência internacional de doadores marcada para 2 de março no balneário egípcio de Sharm El Sheikh, segundo uma fonte oficial da UE. No ano passado, o bloco prestou uma ajuda de 487 milhões de euros aos palestinos. A verba será dedicada ao auxílio humanitário e ao início da reconstrução em Gaza, cuja infra-estrutura foi devastada em três semanas de ofensiva israelense nos meses de dezembro e janeiro, segundo nota da Comissão Europeia. Além disso, uma parte será destinada à Autoridade Palestina (que governa apenas a Cisjordânia, não a Faixa de Gaza) para a implementação de reformas e programas de apoio a refugiados. "Nossa prioridade hoje é responder adequadamente à desastrosa situação humanitária em Gaza", disse a comissária (ministra) europeia de Relações Exteroires, Benita Ferrero-Waldner. Parte do dinheiro será empregada na remoção de destroços e de explosivos intactos, na ajuda a crianças traumatizadas, no financiamento de frentes de trabalho e na construção de abrigos, disse ela. A comissária salientou que o acesso a Gaza, ainda sob bloqueio israelense, é a questão mais crucial. A prioridade continua sendo a abertura imediata e incondicional de todos os acessos ao território, de modo a permitir o fluxo de bens humanitários, produtos comerciais e pessoas. A Autoridade Palestina espera receber uma ajuda total de 2,78 bilhões de dólares na conferência do Egito. (Reportagem de David Brunnstrom)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.