UE retira todos embaixadores de Honduras, diz ministro

Os embaixadores de todos os países da União Europeia (UE) em Honduras foram retirados do país centro-americano depois de o presidente Manuel Zelaya ter sido deposto em um golpe militar ocorrido no domingo. O ministro das Relações Exteriores da Suécia, Carl Bildt, escreveu hoje em seu blog na internet que "todos os embaixadores da UE já saíram" da capital Tegucigalpa. A Suécia ocupa atualmente a presidência rotativa do bloco.

AE-AP, Agencia Estado

02 de julho de 2009 | 10h16

Bildt disse que ainda há incertezas sobre a situação em Honduras e informou que a UE debate no momento a melhor forma de pressionar pelo "rápido retorno da plena ordem constitucional" no país. Zelaya foi destituído do cargo por militares em cumprimento a uma ordem da Suprema Corte do país, após insistir em realizar um plebiscito para mudar a Constituição e permitir sua candidatura à reeleição. Ele foi preso em casa e levado a uma base aérea, de onde embarcou para a Costa Rica. Os deputados de Honduras nomearam Roberto Micheletti, líder do Congresso, como novo presidente de Honduras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.