UE vai congelar ativos da Líbia, diz diplomata

As nações da União Europeia (UE) concordaram em impor um embargo à compra de armas e congelar ativos da Líbia, disse um diplomata do bloco hoje. Além disso, haverá uma proibição para algumas pessoas do governo de Muamar Kadafi viajarem para os países da UE.

AE, Agência Estado

25 de fevereiro de 2011 | 13h46

As sanções contra o regime de Kadafi também incluem um embargo à venda de equipamentos a fim de se garantir a segurança do povo líbio. Mas as medidas devem demorar ainda vários dias para entrar em vigor, segundo o diplomata.

O acordo fechado hoje entre as 27 nações da UE ainda precisa ser escrito obedecendo os parâmetros legais, explicou a fonte. Autoridades do bloco recusam-se a dizer quem ou quantos líbios devem ser atingidos pelas sanções, para se "evitar uma fuga de ativos" do país.

Mais cedo hoje, a chefe das Relações Exteriores da UE, Catherine Ashton, disse que "é hora de considerar o que nós chamamos de medidas restritivas, de pensar sobre o que podemos fazer para garantir que nós estejamos fazendo o máximo de pressão possível para tentar interromper a violência na Líbia". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaprotestosUEcongelamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.