UE vai enviar 126 observadores para eleições na Venezuela

A União Européia (UE) anunciou nesta quinta-feira que vai enviar à Venezuela uma missão de observação para as eleições presidenciais marcadas para o próximo dia 3 de dezembro.A missão será integrada por 126 observadores sob a direção de Monica Frassoni, co-presidente do grupo dos Verdes no Parlamento Europeu.O envio dos observadores responde a um pedido que o Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela fez em julho, explicou em comunicado a Comissão Européia, órgão executivo da UE.O anúncio da missão foi feito um dia depois de o representante da UE na Venezuela, o espanhol Antonio García, ter assinado com o Conselho Eleitoral o memorando de entendimento que vai reger a atuação dos observadores europeus no pleito.A equipe de base consiste em um chefe observador e dez analistas, incluindo técnicos em votação eletrônica e um assessor em matéria de segurança.Nos próximos dias uma equipe de 36 observadores a longo prazo vai chegar ao país, 80 a curto prazo, uma delegação de membros do Parlamento Europeu e diplomatas das embaixadas dos 25 países da UE em Caracas."Com esta missão, confirmamos nosso apoio ao processo eleitoral na Venezuela, como já foi o caso das eleições legislativas de 2005", afirmou a comissária européia de Relações Exteriores, Benita Ferrero-Waldner.Ferrero-Waldner acrescentou que "uma verdadeira disputa eleitoral é essencial para o fortalecimento da democracia, e a União Européia quer contribuir para este processo através da observação imparcial, objetiva e independente".No dia 3 de dezembro, 16 milhões de venezuelanos estão convocados para ir às urnas e escolher o presidente que governará o país entre 2007 e 2013.As principais pesquisas venezuelanas dão uma ampla vantagem do presidente Hugo Chávez, candidato à reeleição, sobre o segundo mais votado, Manuel Rosales.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.