UE vai proscrever grupos que apóiam o Hamas

Peritos em legislação e terrorismo da União Européia reuniram-se em Bruxelas para decidir quais as associações e entidades beneficentes serão afetadas pela decisão de classificar como organizações terroristas todos os braços do grupo islâmico Hamas, cujos bens serão congelados nos países-membros. A lista de entidades vinculadas ao Hamas deverá ser concluída até o fim da semana.A porta-voz da UE, Emma Udwin, salientou que o dinheiro e bens congelados não serão substituídos por outros fundos destinados para os palestinos. O Hamas mantém uma ampla rede de assistência social na Faixa de Gaza e na Cisjordânia, o que reforça sua popularidade entre a população mais pobre.Altos funcionários admitiram que a demora da UE em definir as entidades proscritas dará tempo aos grupos ligados ao Hamas para retirar os depósitos de bancos europeus. Emma disse que não há como prever como a medida afetará serviços de saúde e educação para os palestinos. "A União Européia não envia nada para o Hamas", insistiu a porta-voz. O desembolso de ajuda financeira feito pela UE é remetido, na maior parte, por meio de agências humanitárias privadas ou da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.