UE vai supervisionar eleições de maio no Timor Leste

A União Européia vai supervisionar as eleições legislativas e presidenciais de maio no Timor Leste com uma equipe de 50 observadores, anunciou nesta quarta-feira em Díli Stefano Gatto, porta-voz da Comissão Européia (órgão executivo do bloco).Gato declarou à imprensa que o grupo discutiu nesta quarta-feira com o presidente do Timor Leste, Xanana Gusmão, a assistência a ser prestada pela missão européia ao processo eleitoral.O primeiro-ministro, José Ramos Horta, comemorou nesta quarta-feira a participação das Nações Unidas, que em outubro de 2006 enviou uma equipe para acompanhar as eleições. Ele espera um clima de paz, apesar de o grupo rebelde liderado por Alfredo Reinado ainda não ter entregado as suas armas.O ex-militar iniciou uma rebelião em meados de 2006 que deixou o país à beira da guerra civil. Ramos Horta voltou a pedir que ele entregue suas armas à polícia da ONU ou às forças da Austrália e Nova Zelândia.A ONU e o governo timorense consideram as eleições um importante teste para consolidar a democracia e independência do país.Xanana Gusmão, que no fim desta semana anunciará a data das eleições, repetiu que não vai tentar a reeleição e que se dedicará a outras atividades, à margem da política.O partido Fretilin, que controla 55 das 88 cadeiras doParlamento, espera manter a maioria, mas ainda não apresentou seu candidato a presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.