Uganda elege hoje presidente e novo Parlamento

As primeiras eleições multipartidárias em Uganda, no centro-leste da África, em 25 anos, começaram às 7 horas desta quinta-feira (1 hora no horário de Brasília), com a abertura da maioria dos centros de votação, segundo emissoras locais. Na votação de hoje será eleito o presidente, para um mandato de cinco anos, e um novo Parlamento.Em Uganda vigorou um sistema de partido único desde a chegada ao poder do presidente Yoweri Museveni, em 1986. Quem aspirasse a postos públicos só podia fazê-lo representando o Movimento Nacional de Resistência ou como independentes.Embora haja cinco candidatos à presidência, a luta está centrada no chefe de Estado, Yoweri Museveni, e no líder oposicionista Kizza Besigye. As enquetes prévias indicam que Museveni, o favorito, não obterá à metade dos votos no primeiro turno das eleições, por isso é possível que tenha de ser realizado um segundo turno.Resultados saem no sábadoA votação terá a duração de 10 horas e dela participam 10,4 milhões de ugandenses, de uma população total de mais ou menos 27 milhões de habitantes. Os resultados serão conhecidos no próximo sábado. A votação é supervisionada por 500 observadores internacionais, sendo 200 de uma missão da União Européia (UE). O único partido que apresentou candidatos em todas as jurisdições eleitorais para optar por representação no Parlamento é o governante do Movimento de Resistência Nacional (NRM).A coalizão representada por Besigye, a Frente para a Mudança Democrática (FDC), só tem um e teve que organizar-se em meio a um clima hostil, segundo a organização de direitos humanos Human Rights Watch. A organização acusa o governo do país de intimidar a oposição, de desigualdade nos fundos de campanha e de influenciar a cobertura dos meios de comunicação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.