Uganda: presidente cria nova polêmica com gays

O presidente de Uganda, Yoweri Museveni, se envolveu novamente em uma polêmica nesta segunda-feira. Em um evento religioso na capital do país, Kampala, o político disse que a homossexualidade merece punição porque "é criminosa e tão cruel".

AE, Agência Estado

31 de março de 2014 | 15h34

Museveni, que no mês passado assinou uma lei fortalecendo sanções penais contra os homossexuais, disse nesta segunda-feira que ele "agora se mobiliza para lutar" contra os ativistas ocidentais que estariam tentando "promover a homossexualidade na África".

As declarações de Museveni foram feitas evento organizado por líderes religiosos de Uganda para agradecer o presidente pela assinatura da lei antigay. Milhares de pessoas participaram do evento, muitos deles estudantes que cantavam e dançavam musicas contra os homossexuais.

Internamente, o presidente é aclamado por setores conservadores da sociedade por resistir a pressão de nações do Ocidente. Os Estados Unidos e alguns países da Europa cortaram ou revisaram a ajuda à Uganda após a lei antigay ser aprovada. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Ugandagays

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.