Uganda registra 101 casos de Ebola e pânico aumenta

Uganda tem 101 casos suspeitos da febrecausada pelo Ebola, e centenas de pessoas estão sob observação,disseram autoridades nesta sexta-feira. A população da regiãoestá preocupada com uma possível disseminação do vírus. A febre já matou 22 pessoas, e o ministro responsável peloatendimento médico em Uganda, Emmanuel Otaala, disse ajornalistas que 11 funcionários do setor da saúde adoeceram. Outras 338 pessoas estavam em observação, já que entraramem contato com pessoas infectadas com a virulenta febrehemorrágica, que frequentemente faz as vítimas sangrarem até amorte, pelos ouvidos, pelos olhos e por outros orifícios docorpo. Todos os casos aconteceram no distrito de Bundibugyo, nooeste de Uganda, com a exceção de dois casos em Kampala -- umdeles um médico, que morreu. Otaala disse que o gabineteaprovou um aumento salarial para compensar funcionários dosetor de saúde que estão se arriscando ao entrar em contato como Ebola. O surto, que começou em agosto, causou pânico entreautoridades e o público. O sindicato dos médicos chegou a pediraos profissionais que se recusassem a tratar os pacientes senão recebessem equipamentos de proteção adequados. A região afetada faz fronteira com a República Democráticado Congo, onde fica o rio Ebola, que deu nome ao vírus, após asprimeiras ocorrências da doença em seu vale, em 1976. (Por Tim Cocks)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.