Uganda teme mais deslizamentos; mortos chegam a 30

Subiu para 30 na terça-feira o número de mortos por causa dos deslizamentos no leste de Uganda, onde mais corpos foram retirados dos escombros, e as autoridades alertaram que as chuvas excepcionais podem causar mais catástrofes.

REUTERS

30 de agosto de 2011 | 08h57

Os deslizamentos ocorreram na manhã de segunda-feira, engolindo as aldeias de Mabono e Meru, perto da fronteira com o Quênia. Centenas de casas foram destruídas, matando famílias inteiras.

"Havia pedras caindo das montanhas (...), e o barulho parecia de tiros", afirmou o sobrevivente Menjezi Silver. "Começamos a resgatar algumas pessoas que estavam soterradas dentro da casa."

A TV mostrou sobreviventes em choque no meio de árvores retorcidas, lavouras soterradas e casas em ruínas. Equipes de resgate usavam pás para recolher os corpos.

Musa Ecweru, vice-ministro para preparação contra desastres, disse à Reuters que 27 corpos já foram resgatados, e que três outras vítimas provavelmente foram levadas pela enxurrada. O governo prometeu dar caixões para as famílias de todos os mortos.

Ecweru disse que pessoas que vivem em áreas de risco, no alto dos morros, foram levadas para áreas mais baixas, onde aguardarão uma moradia definitiva.

(Reportagem de Elias Biryabarema)

Tudo o que sabemos sobre:
UGANDADESLIZAMENTOSMORTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.