Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Ulster: Paisley e Adams vão se reunir pela 1ª vez na história

O reverendo Ian Paisley, líder do majoritário Partido Democrático Unionista (DUP), e o presidente do Sinn Féin, Gerry Adams, se reunirão nesta segunda-feira, 26, pela primeira vez na história, para debater a extensão do prazo para formar o governo autônomo da Irlanda do Norte, que expira à meia-noite.Os dois dirigentes se reunirão no Castelo de Stormont (Belfast), sede da Assembléia norte-irlandesa, que foi restabelecida no domingo por Londres para formar um Executivo de poder compartilhado entre católicos e protestantes."Será um dia de negociações frenético. Com o relógio avançando, é vital que os partidos entrem em consenso sobre a maneira de conseguir a devolução" da autonomia, disse uma fonte próxima às conversas.A fonte informou que os dois partidos querem evitar a realização da sessão plenária da Assembléia prevista para esta segunda-feira, já que sabem que esta fracassaria.Parece improvável que os 108 membros da Assembléia que irão ao Parlamento de Belfast elejam uma nova equipe de governo autônomo liderada por Paisley e secundada pelo "número dois" do Sinn Féin, Martin McGuinness.As possibilidades de que esta reunião termine com sucesso são poucas, já que mais de 90% dos 120 membros que formam a executiva do DUP decidiram no sábado, 24, adiar a assinatura de um pacto de governabilidade.Ministro britânicoO ministro britânico para a Irlanda do Norte, Peter Hain, disse hoje que, "se a reunião entre Ian Paisley e Gerry Adams ocorrer, será extraordinário".Mas Hain insistiu em que, se não houver acordo nesta segunda-feira para formar o Executivo autônomo, o governo de Londres suspenderá a Assembléia e os salários de seus membros.O ministro acrescentou que, se os dois políticos se encontrarem, depois de 40 anos de conflito, qualquer coisa será possível na Irlanda do Norte.Paisley disse no fim de semana que está disposto a formar um governo com o Sinn Féin em maio se Londres adiar por seis semanas o prazo.Londres não aceitou o pedido, mas Hain está disposto a escutar qualquer proposta alternativa que seja negociada pelos partidos, como uma nova data para a formação do governo que venha acompanhada de um detalhado plano de ação para as próximas semanas.Nesse cenário, dependerá da capacidade do DUP para persuadir o resto dos partidos a aceitarem suas reivindicações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.