Última brigada de combate americana deixa o Iraque

Retirada acontece duas semanas antes de prazo final; Pentágono diz que missão não terminou oficialmente.

BBC Brasil, BBC

19 de agosto de 2010 | 00h27

Militares americanos anunciaram nesta quarta-feira que a última brigada de combate dos Estados Unidos em atuação no Iraque acaba de deixar o país, pouco mais de sete anos após o início do conflito.

De acordo com a rede de televisão americana NBC, a 4ª Brigada da 2ª Divisão de Infantaria iniciou, nas primeiras horas desta quinta-feira, horário local, a travessia por terra até o Kuwait.

A retirada acontece duas semanas antes do fim do prazo dado para a finalização das operações de combate, em 31 de agosto.

Mesmo assim, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos não confirma que a retirada da brigada marque uma antecipação no fim destas operações no Iraque.

Informações dão conta de que a maior parte dos 4 mil homens que fazem parte da brigada deixou o país em um comboio de veículos blindados.

A jornada pelas estradas no deserto estaria sendo planejada há semanas pelos militares.

'Passo significativo'

Segundo Jane O'Brien, repórter da BBC em Washington, a retirada da brigada, sete anos e meio após a invasão liderada pelos EUA, é um passo significativo.

Mesmo assim, o Pentágono continua ressaltando que o fim oficial da Operação Liberdade Iraquiana - a missão militar dos EUA no país - continua programado para o final do mês.

Cerca de 56 mil soldados americanos devem continuar no Iraque até o final de 2011, para auxiliar forças iraquianas e proteger os interesses dos EUA.

Estes soldados permanecerão armados, mas só serão autorizados a usar suas armas para defesa pessoal ou a pedido do governo iraquiano, afirma O'Brien.

Segundo o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, P.J. Crowley, o envolvimento americano no Iraque está longe do fim, mas será mais focado em atividades civis.

"Nós estamos terminado uma guerra, mas não estamos terminando nosso trabalho no Iraque. Temos um compromisso de longo prazo com o Iraque", disse ele à rede de TV americana NBC.

Mais de 4,4 mil americanos e dezenas de milhares de iraquianos foram mortos durante o conflito.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.