Última conversa acabou em 2002

O último processo de paz entre o governo da Colômbia e a guerrilha das Farc foi conduzido pelo ex-presidente Andrés Pastrana e fracassou em fevereiro de 2002, após quatro anos de diálogo. Durante a negociação, Bogotá concordou em desmilitarizar uma área de 42 mil quilômetros quadrados em San Vicente del Caguán, no sul do país, para que as conversas pudesse ocorrer na região.

O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2012 | 03h02

O local tornou-se um dos principais redutos dos guerrilheiros, que foram acusados de utilizá-lo como um centro para, sem a influência do Estado colombiano, pôr em prática sequestros, contrabandear armas e traficar drogas.

Enquanto vigorou a área desmilitarizada e as últimas negociações de paz, atentados atribuídos à guerrilha continuaram ocorrendo no país.

O poder das Farc e a força de grupos contrários a qualquer diálogo cresceram, o que levou Álvaro Uribe à presidência, em 2002. Outras tentativas de acordo ocorreram nos anos 80, mas fracassaram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.