Efe
Efe

Último ditador argentino é condenado a 15 anos de prisão

Sentença se soma a duas penas de prisão perpétua que o ex-general de 83 anos já havia recebido

Efe,

29 de dezembro de 2011 | 13h46

BUENOS AIRES - O último ditador da Argentina, o ex-general Reinaldo Bignone, foi condenado nesta quinta-feira, 29, a 15 anos de prisão por delitos de lesa-humanidade cometidos em uma prisão clandestina dentro de um hospital público durante o regime militar que governou o país entre 1976 e 1983.

A sentença ditada nesta quinta-feira pelo Tribunal Oral Federal Nº 2 de Buenos Aires contra Bignone se soma as duas penas de prisão perpétua que o ex-general de 83 anos recebeu em julgamentos anteriores por crimes da ditadura.

 

Tudo o que sabemos sobre:
BignoneArgentinaditadura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.