Último procurado por 'limpeza étnica' na Bósnia é preso

O último procurado pela execução de "limpeza étnica" no conflito dos Bálcãs na década de 90, o servo-croata Goran Hadzic, acusado por crimes contra a humanidade praticados durante a Guerra da Bósnia, de 1991 a 1995, foi preso nesta quarta-feira, informou um oficial sérvio. Hadzic foi personagem chave na ruptura da República Sérvia da Krajina na Croácia. Após a prisão do general sérvio-bósnio Ratko Mladic em maio deste ano, Hadzic era o último procurado para enfrentar o Tribunal Internacional da ONU, em Haia, na Holanda. O presidente sérvio Boris Tadic agendou coletiva de imprensa para as 11 horas da manhã, no horário local, 6 horas da manhã, em Brasília para falar sobre o assunto. As informações são da Associated Press.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.