Caren Firouz/Reuters
Caren Firouz/Reuters

Últimos soldados norte-americanos deixam o Iraque

Coalizão internacional, liderada por EUA e Reino Unido, invadiu o país em 2003 para derrubar o então ditador iraquiano Saddam Hussein

EFE e Reuters,

18 de dezembro de 2011 | 05h23

BAGDÁ - Os últimos soldados norte-americanos deixaram o território iraquiano na manhã deste domingo, 18, em direção ao Kuwait, segundo informou a TV estatal Iraqiya.


Assim, Os Estados Unidos põem fim a mais de nove anos presentes no Iraque no marco da retirada total de suas tropas, cujo prazo expirava no próximo dia 31.


A televisão mostrou imagens da última coluna de veículos militares americanos que cruzava a fronteira entre Iraque e Kuwait.


Durante os últimos dias, o exército americano entregou os últimos prisioneiros que tinha em suas mãos às autoridades iraquianas, que na sexta-feira passada assumiram o controle da última base militar que permanecia em poder dos EUA.


No último dia 15, se encenou a retirada americana de maneira simbólica com o recolhimento da bandeira em cerimônia em Bagdá, da qual participou o secretário de Defesa deste país, Leon Panetta.


Com o pacto de segurança assinado entre Washington e Bagdá há três anos, ambos os países acertaram a retirada para o final deste ano.



Uma coalizão internacional, liderada por EUA e Reino Unido, invadiu o Iraque no dia 20 de março de 2003 para derrubar o então ditador iraquiano Saddam Hussein, o que representou o início de uma guerra que durante todos estes anos tirou a vida de 100.000 civis e de mais de 4.400 soldados americanos.


Saddam Hussein foi capturado em dezembro de 2003 e executado na forca três anos depois.


Otan. A Otan também encerrou sua missão de treinamento de sete anos no Iraque. A aliança afirmou que poderia encerrar sua missão depois de conversas com autoridades iraquianas sobre continuar o programa falharam, por conta de divergências sobre um quadro legal que abrange as forças da Otan no Iraque.


"Nós respeitamos as decisões de um Iraque soberano e saudamos o fato de que os iraquianos são totalmente responsáveis por fazer o seu próprio caminho", disse o tenente-general Robert Caslen, comandante da missão de treinamento comandante da Otan na cerimônia de encerramento.


A decisão ocorre depois do anúncio presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em outubro que as tropas norte-americanas iriam para casa no final do ano.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueOtanEUABarack ObamaSadam Husein

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.