Um árabe concorre à Prefeitura de Haifa

A novidade acontece pela primeira vez desde a criação Israel

EFE

27 de abril de 2008 | 06h40

Um árabe vai concorrer à Prefeitura da cidade israelense de Haifa (norte) pela primeira vez desde a criação do Estado de Israel em 1948, informa o jornal "Haaretz". Trata-se de Walid Hamis, advogado com cidadania israelense que exerceu o cargo de prefeito substituo até que renunciou em julho de 2006 por causa do confronto entre Israel e a milícia xiita libanesa Hezbollah. "Os árabes de Haifa não são a reserva de votos de outro candidato. Queremos ser plenamente partícipes na direção da cidade", assegurou Hamis para justificar sua postulação. Pelo geral, a comunidade árabe de Haifa apóia nas eleições os trabalhistas ou qualquer outro partido que freie a vitória da direita nacionalista. O número de árabes com cidadania israelense chega a 1.400.000, o que representa um quinto da população do país, sendo os palestinos que ficaram nas fronteiras do Estado de Israel após a guerra de 1948/9, mais seus descendentes. Na atualidade, os judeus representa 80% dos habitantes de Haifa, a terceira maior cidade do país após Jerusalém e Tel Aviv. O plano de partilha das Nações Unidas de 1947 incluía a localidade dentro das fronteiras do futuro Estado judeu, quando suapopulação era então aproximadamente metade árabe, metade hebréia, graças à emigração sionista desde o começo do século passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.