EFE/CPCE DURANGO
EFE/CPCE DURANGO

Avião da Embraer com 103 a bordo sofre acidente no México e todos sobrevivem 

Acidente no norte do país foi confirmado pela empresa Aeroméxico; aeronave teria se chocado com algum objeto logo que decolou e, em seguida, caiu na pista

O Estado de S.Paulo

31 Julho 2018 | 18h31
Atualizado 01 Agosto 2018 | 01h18

Um avião da companhia Aeroméxico com 99 passageiros e 4 tripulantes a bordo sofreu um acidente nesta terça-feira no Aeroporto de Guadalupe Victoria, no Estado de Durango, norte do México. O governador do Estado de Durango, José Rosas Aispuro, afirmou em sua conta no Twitter que todos a bordo sobreviveram. Havia 85 feridos, a maioria sem gravidade, e 18 foram levados para hospitais. 

A Aeroméxico afirmou que o voo AM 2431 fazia a rota Durango – Cidade do México, operada por um avião da Embraer modelo E190 com capacidade para 100 passageiros.

Em comunicado à imprensa, a Embraer afirma que já se colocou à disposição das autoridades aeronáuticas do México para auxiliar nas investigações do acidente. Uma equipe de técnicos se prepara para se deslocar ao local do acidente, segundo a fabricante. A aeronave número de série 190-173 foi entregue em maio de 2008, informa a Embraer.

A informação sobre o acidente foi relatada logo após sua ocorrência, por volta das 16 horas (hora local), pela Aeroméxico em sua conta no Twitter. A viagem deveria durar 1 hora e 20 minutos. O avião tentou decolar em meio a uma forte chuva de granizo, mas não conseguiu e fez um pouso forçado fora da pista, em um terreno com vegetação. Segundo passageiros disseram ao governador de Durango, ao decolar, o avião fez um movimento anormal e então ocorreu o acidente.

 

Segundo o diretor executivo da Aeroméxico, Andres Conasa, a aeronava estava "em perfeita manutenção" e havia passado por uma vistoria em fevereiro deste ano.

Pelo Twitter, a administração do aeroporto afirmou que o acidente ocorreu em razão das condições meteorológicas em Durango. No entanto, a avaliação é preliminar e uma perícia deverá informar as causas do acidente. 

Segundo o site El Siglo, a aeronave teria se chocado com algum objeto logo que decolou. Um repórter do Siglo publicou em seu Twitter algumas imagens do acidente. 

 

Segundo o porta-voz da Defesa Civil de Durango, Alejandro Cardoza, em entrevista à Milenio Televisión, havia 85 pessoas feridas. “O fogo começou depois da aterrissagem forçada que o piloto precisou fazer. Ao que parece, felizmente, ninguém sofreu queimaduras”, disse Cardoza. Ele acrescentou que os ferimentos da maioria dos passageiros eram “muito leves”. 

 

Mais tarde, porém, o diretor do escritório de Defesa Civil de Durango, Israel Solano Mejía, disse ao canal Foro TV que o avião caiu de frente e o piloto havia ficado gravemente ferido. Segundo ele, 37 pessoas tiveram lesões leves e 2 sofreram queimaduras. A Secretaria de Saúde local afirmou que 18 feridos no incidente foram transferidos para um hospital estatal. 

Imagens de televisão mostram a parte traseira do avião com o logo da Aeroméxico em uma vegetação e uma coluna de fumaça subindo ao ar.

Um repórter da Milenio Televisión disse que alguns passageiros caminharam até uma rodovia próxima para pedir ajuda.

O presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, tuitou que instruiu Secretaria de Defesa, Comunicações, Transportes e Proteção Civil para que colaborassem e voltassem suas atenções para o incidente. “Faço votos para que a tripulação e todos os passageiros estejam bem”, escreveu o presidente do México no Twitter. 

O site Planespotters.net afirmou que o Embraer 190 fabricado no Brasil tinha cerca de 10 anos de fabricação e pertenceu a outras duas companhias aéreas antes de ser incorporado à frota da Aeroméxico. A companhia mexicana informa em seu site contar com sete jatos Embraer EMB-190 para 99 passageiros. /Reuters, AFP, EFE, AE 

Mais conteúdo sobre:
México [América do Norte]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.