Um dos terroristas presos em Mumbai é paquistanês, diz Índia

País vizinho irá enviar chefe de inteligência para ajudar na investigação dos atentados que mataram 143 pessoas

Reuters

28 de novembro de 2008 | 09h00

O ministro do interior do Estado indiano de Maharashtra, R. R. Patil, disse nesta sexta-feira, 28, que um dos acusados de participar dos atentados de Mumbai é paquistanês. O Paquistão deve mandar seu chefe de inteligência à Índia para ajudar nas investigações. A série de ataques, que até agora deixou 143 mortos, foi assumida pelo desconhecido grupo radical islâmico da Índia, Decca Mujahedin.   Veja também: Polícia indiana controla hotel Oberoi e liberta 113 reféns Falando como presidente, Obama condena atentados na Índia Não há vítimas brasileiras em ataques na Índia, diz Consulado Ligação da Al-Qaeda com ataques na Índia é improvável Assista ao vídeo com cenas dos ataques  Imagens de Mumbai " Mais cedo, o presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, telefonou  para o primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, e sugeriu que 'agentes não-ligados ao Estado' podem ser responsáveis pelo ataque, em uma referência a grupos radicais islâmicos   'Agentes que não estão ligados ao Estado querem impor sua agenda a governos, mas eles não irão triunfar", disse Zardari, segundo seu gabinete. Ele ainda se disse chocado com os atentados.   A chancelaria e o Exército indianos já haviam indicado que 'elementos paquistaneses' estariam por trás dos atentados, reivindicados por um desconhecido grupo radical islâmico baseado na Índia, o Decca Mujahedin. 'Segundo informações preliminares, alguns elementos no Paquistão são os responsáveis", disse hoje o ministro de Relações Exteriores da Índia, Pranab Mukherjee. "Mas provas não podem ser divulgadas por enquanto".  Ontem, o premiê indiano Manmohan Singh, culpou "forças estrangeiras" pelos ataques. O Exército do país chegou a dizer que havia paquistaneses envolvidos na ação.   As relações entre os dois países, que já entraram em guerra três vezes desde 1947 e possuem armas nucleares, têm melhorado nos últimos anos, mas a rivalidade entre ambos ainda é amarga. O Paquistão tem população majoritariamente islâmica, enquanto a Índia é secular, com 85% de hindus e uma minoria muçulmana que atinge 13% da população. Ambos disputam a região da Caxemira, perto do Himalaia.  

Tudo o que sabemos sobre:
Índiapaquistãoatentados de Mumbai

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.