REUTERS/ Stephane Mahe
REUTERS/ Stephane Mahe

Um em cada quatro franceses não toma banho todos os dias, aponta pesquisa

Levantamento mostra que os homens são menos higiênicos que as mulheres no país europeu e que outros hábitos, como lavar as mãos e trocar as roupas de baixo, também têm baixa adesão

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2020 | 10h02

PARIS - Em tempos de coronavírus, um levantamento do Instituto Francês de Opinião Pública (Ifop), publicado ontem no jornal Le Parisien, dá indícios preocupantes sobre a higiene pessoal (ou a falta dela) dos franceses . Segundo a pesquisa, um em cada quatro franceses não toma banho diariamente. 

Outros dados levantados indicam que os franceses também pontuam um “baixo respeito às normas sanitárias”.

Apenas 76% afirmaram tomar um banho completo, ou seja, lavando todas as partes do corpo todos os dias, como revela o Ifop.

A pesquisa mostra ainda que as mulheres são mais adeptas dos banhos do que os homens. Enquanto 81% delas afirmaram se banharem diariamente, apenas 71% deles mantêm o mesmo hábito diário.

O porcentual entre os homens diminui ainda mais quando se trata de desempregados (60%), moradores de zonas rurais (59%) e idosos com mais de 65 anos (57%).

Hábitos saudáveis

Além disso, somente um quarto (25%) dos entrevistados afirmou lavar as mãos depois de assoar o nariz, o que demonstra, de acordo com a pesquisa, “o desconhecimento das normas sanitárias básicas, apesar das numerosas campanhas de saúde pública diante de riscos de doenças virais atuais”, como o coronavírus. 

Ainda em relação ao hábito de lavar as mãos, apenas 71% declararam fazer essa prática ao sair do banheiro e 37% ao deixar o transporte público.

A falta de higiene remonta aos tempos áureos do Palácio de Versalhes. Até o século XIX, não havia banheiros internos e os jardins serviam de depósitos sanitários. As roupas de cama e até as pessoais raramente eram trocadas. Uma pessoa considerada limpa era aquela que lavava as mãos e o rosto.

O mais famoso francês conhecido pela falta de asseio foi Luís XIV, o Rei Sol, que teve inúmeras doenças relacionadas à sujeira. O monarca se utilizava de truques para disfarçar os fortes odores, como perfumes pelo corpo e pastilhas de anis para amenizar o mau hálito. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.