Um líder da Al-Qaeda no Iraque é morto

Um suposto líder da rede terrorista Al-Qaeda no Iraque, Hamid al-Taqi, morreu nesta sexta-feira em um confronto com membros do exército iraquiano em Samarra, ao norte de Bagdá, enquanto outras duas pessoas morreram em um bombardeio americano em Faluja, ao oeste da capital. Durante o combate também morreram dois colaboradores do terrorista, acrescentaram as fontes, que explicaram que Al-Taqi era o líder local da Al-Qaeda, responsável pelo planejamento e a execução de atentados em Samarra. A morte de Al-Taqi ocorre três dias depois de o líder da Al-Qaeda no país árabe, o foragido jordaniano Abu Musab al-Zarqawi, aparecer em um vídeo transmitido pela Al-Jazeera no qual criticou o governo de Bagdá e pediu a continuação da luta no Iraque. Além disso, fontes da segurança iraquiana informaram que duas pessoas morreram e outras duas ficaram feridas em um bombardeio americano contra uma casa localizada em Al-Hosey, perto de Faluja. Na área de Al-Enaz, também nas proximidades de Faluja, um homem morreu nesta sexta-feira quando seu veículo foi atingido por disparos. Na mesma área, agentes de segurança encontraram um cadáver baleado e sinais de tortura. Baixas militares Um soldado americano morreu na quinta-feira na explosão de uma bomba quando o veículo em que viajava com outros soldados passava por uma estrada do norte da capital, informou em comunicado o comando americano. O exército americano também informou que 31 iraquianos morreram na última quinta-feira em uma onda de ataques lançada por centenas de insurgentes contra alvos das Forças de Segurança iraquianas ao nordeste de Bagdá. Nos ataques, que foram perpetrados depois do meio-dia da última quinta contra postos de controle do exército e da polícia em duas localidades próximas à cidade de Baquba, cerca de 65 quilômetros ao nordeste de Bagdá, morreram 21 rebeldes, sete soldados, um agente de segurança e dois civis, diz o comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.