Um milhão de crianças estão presas no mundo, diz ONG

A organização Save the Children fez alerta nesta quarta-feira sobre o fato de mais de um milhão de crianças estarem presas em diferentes países, onde a legislação prevê a aplicação de penas a meninos e meninas.As crianças que violam a lei são condenados em 36 países com castigos corporais, que podem incluir flagelação, apedrejamento e a amputação de algum membro. Outras 43 nações permitem ainda castigar fisicamente as que estiverem detidas.Segundo a Save the Children, 97% das crianças no mundo não têm acesso à mesma proteção legal em comparação com os adultos.Entre as que estão presas atualmente, 90% cumprem pena por delitos de pouca importância, afirma a ONG, segundo a qual quatro em cada cinco crianças que cometem algum delito não reincidem ao longo de sua vida.AumentoA Save the Children expressou sua preocupação diante do fato de o número de menores presos no Reino Unido ter dobrado nos últimos 13 anos.Entre 80% e 85% dos menores que estão sob custódia policial ou que estão presos em alguma instituição correcional no Quênia são crianças que precisam de proteção e que não cometeram nenhum crime.Em Uganda, 70% das crianças que tiveram algum problema com a lei afirmam que roubaram para comer ou se vestir.O alerta feito pela Save the Children coincide com a publicação de um relatório na ONU segundo o qual a violência contra as crianças aumentou e vem sendo tolerada.Segundo o relatório da ONU citado nesta quarta pela BBC, quase seis milhões de crianças são obrigadas a trabalhar e muitas acabam se prostituindo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.