Um novo começo para Kosovo

A independência está aqui. Em estreita coordenação com nossos aliados Estados Unidos e União Européia , meu governo e o Parlamento de Kosovo a declararão nas próximas horas.Negociamos com Belgrado e a comunidade internacional durante quase dois anos. Alguns progressos foram alcançados em questões importantes, como o retorno dos refugiados, a descentralização e a herança cultural. No entanto, não conseguimos fazer nenhum progresso no ponto fundamental: o futuro de Kosovo.Agora estamos ingressando em um novo começo. Kosovo independente é um fato. Sérvia e Kosovo têm um futuro comum como dois países independentes na União Européia. Nossa meta é trabalhar em estreita colaboração com a Sérvia e outros vizinhos para recebermos os benefícios plenos da cooperação regional e da integração européia. Kosovo está confiante porque sabemos estar no rumo da União Européia. A reeleição do presidente Boris Tadic sugere que também é esse o rumo da Sérvia. Esse é um desenvolvimento positivo para a região.Kosovo percorreu um longo caminho desde 1999, quando a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) interveio para barrar a repressão de Slobodan Milosevic aos separatistas albaneses étnicos. A Missão das Nações Unidas em Kosovo é um arranjo temporário que nos ajudou a construir e desenvolver nossa própria capacidade institucional. Kosovo é grato ao bom serviço prestado pela comunidade internacional até agora, que permitiu a preparação do território para a autogovernança.Mais ainda, nós temos um plano. Em primeiro lugar, precisamos que a independência seja declarada e reconhecida. A fase de convencimento terminou. Provamos que podemos ser um parceiro responsável e somos sérios sobre um futuro multiétnico. A comunidade internacional, exceto alguns países, veio a compreender e a apoiar nosso legítimo direito de ser um Estado independente. Estou confiante de que Kosovo será reconhecido pela maioria dos países europeus e pelos Estados Unidos imediatamente após declararmos nossa independência.Mas precisamos mais que independência. Precisamos de desenvolvimento econômico, social e político. Depois da independência, seremos responsáveis por Kosovo. Isso representa uma virada mental significativa que Kosovo terá de fazer muito em breve. A maneira como viveremos a partir de agora dependerá de como cuidaremos do desenvolvimento. A governança responsável está ligada, em princípio, a ter uma visão e ao império da lei. Meu governo está inteiramente comprometido com essa meta.Decorre daí, meu terceiro ponto: a necessidade de traçar uma visão para Kosovo. Primeiro, existe a dimensão regional. Kosovo investirá para se tornar um elo entre Sérvia, Albânia, Macedônia e Montenegro. Temos a localização geográfica para nos tornar um centro regional. Melhoraremos nossas estradas, aeroportos e ferrovias. Estamos ansiosos para capitalizar o comércio potencial de cargas. Estamos prontos para investir na construção de centros logísticos perto de Pristina, combinado com parques industriais livres de impostos.Promover fronteiras abertas e um livre fluxo de bens, capitais e trabalho será uma prioridade de meu governo. Isso é também uma boa nova para nossa minoria sérvia. Queremos que nossos cidadãos possam viajar livremente, e comercializar, primeiro regionalmente, depois, dentro das fronteiras da União Européia. Os sérvios de Kosovo são parte de nossos sistema. Estamos preparados para caminhar com eles na construção de um futuro assentado em valores europeus e instituições européias.A visão de meu governo para integrar os sérvios está alinhada com as propostas feitas no plano Ahtisaari - estamos comprometidos com descentralização, ação afirmativa, direitos de propriedade e representação favorável no governo para os sérvios e para proteger o direito dos sérvios de gerir seus assuntos locais. Estou determinado a criar um departamento especial para a promoção de direitos de minorias em meu governo.A população de Kosovo é jovem, um bem importante para um continente que enfrenta uma crise previdenciária. Com a independência, a confiança do investidor deve voltar. Estamos preparando alguns estímulos para atrair empresas para o nosso território, incluindo incentivos fiscais, tolerância zero à corrupção e a promoção da lei e da ordem.A Europa é bem-vinda a Kosovo. Digo isso em nome de nossos cidadãos, que apóiam esmagadoramente um futuro europeu para o território. Kosovo será uma história de sucesso se formos realistas e inclusivos. Queremos reformas para o bem de Kosovo. Independência e reforma são nosso portão para a Europa.*Hashim Thaci é primeiro-ministro de Kosovo e escreveu este artigo para o ?International Herald Tribune?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.