Um panorama dos principais acontecimentos entre Líbano e Israel

Israel voltou a enviar tropas ao sul do território libanês na tarde desta quarta-feira, em resposta a morte e a captura de soldados por guerrilheiros do Hezbollah. A ação acontece seis anos depois da retirada de tropas israelense da região, uma ocupação que durou 18 anos e que tinha por objetivo criar uma zona de segurança entre o norte do território israelense e o sul do libanês. Fundado em 1982 para lutar contra a ocupação israelense no sul do Líbano, o Hezbollah, junto com o movimento Amal, é também o principal partido xiita libanês.Com o apoio de Teerã, ele segue a ideologia islâmica xiita desenvolvida pelo Ayatollah Ruhollah Khomeini, líder da Revolução Islâmica no Irã. No front político, a principal exigência do partido é o estabelecimento de um Estado islâmico no Líbano.Além de seu braço militar, o Hezbollah mantém uma estrutura social, que coordena hospitais, serviços de notícias, escolas e faz parte do Parlamento Libanês.O grupo é considerado um movimento de resistência legítimo pelo mundo árabe e é reconhecido como um partido político no Líbano. Entretanto, países como EUA, Reino Unido, Holanda, Canadá, Austrália e Israel o consideram uma organização terrorista. A União Européia designa como terrorista somente o seu braço armado, e não o movimento como um todo.A continuidade do braço militar do Hezbollah após 1990 viola o Acordo de Taif, que extingüiu a guerra civil no Líbano e exigia o desmantelamento de todas as milícias libanesas e não-libanesas no país. Veja aqui alguns dos principais acontecimentos relacionados às conturbadas relações entre o Líbano e Israel:1968: Comandos israelenses aterrissam no aeroporto de Beirute e explodem 13 aviões comerciais libaneses, em retaliação ao bombardeio de militantes árabes a um avião israelense em Atenas.1969: O Líbano concorda em permitir que guerrilheiros palestinos ataquem Israel.1978: Forças israelenses invadem o sul do Líbano para atacar guerrilheiros palestinos. O Conselho de Segurança das Nações Unidas adota a Resolução 425, que pede que Israel recue e estabelece o envio de uma força de paz internacional para a região. 1982: Israel invade o Líbano novamente, desta vez ocupando parte de Beirute. Ataques israelenses deixam mais de 14 mil civis libaneses e palestinos mortos. Muçulmanos xiitas formam o grupo militante Hezbollah, que se torna o principal grupo de oposição à ocupação israelense. 1985: Israel retira as tropas do sul do Líbano, mas estabelece uma zona de segurança ao longo da fronteira. Israel troca três soldados israelenses capturados por guerrilheiros palestinos em 1982 por 1.150 prisioneiros libaneses e palestinos. 1986: Um avião de guerra israelense é derrubado no sul do Líbano. O piloto Ron Arad é capturado por guerrilheiros xiitas. Desde então, seu destino permanece incerto, mas ele é presumido como morto.1992: Jatos israelenses matam o líder do Hezbollah Sheik Abbas Mussawi. O grupo escolhe o líder atual, Sheik Hassan Nasrallah.1993: Em julho, Israel lança seus mais pesados ataques de artilharia e aéreo contra sul do Líbano desde 1982, em um esforço para erradicar o Hezbollah e os guerrilheiros palestinos.1994: Tropas israelenses capturam o líder guerrilheiro libanês Mustafa Dirani, na esperança de usá-lo para conseguir informações sobre o piloto desaparecido Ron Arad. Uma aeronave israelense acerta uma base do Hezbollah, matando cerca de 50 guerrilheiros.1996: Em abril, Israel lança a "Operação Vinhas da Ira" em outro esforço para acabar com os ataques guerrilheiros. Jatos israelenses também atacam alvos libaneses. A artilharia de Israel mata mais de cem civis libaneses em um base das Nações Unidas em Qana, sul do Líbano. 1997: Doze soldados israelenses morrem em uma ataque no sul do Líbano.2000: Em maio, tropas israelenses recuam da zona de segurança, terminando a ocupação de 18 anos. Em outubro, o Hezbollah captura três soldados israelenses, encontrados mortos mais tarde, em um ataque à fronteira. Mais tarde, o grupo seqüestra um empresário israelense.2004: O Hezbollah troca o empresário israelense e os corpos dos três soldados israelenses por 436 prisioneiros árabes, incluindo Dirani, e os corpos de 59 combatentes libaneses. Pelo menos três libaneses permanecem presos em Israel, e o Hezbollah promete ganhar sua liberação.2006: Em 12 de julho, o Hezbollah captura dois soldados israelenses na zona fronteiriça com Israel. Israel bombardeia pontes e estradas no sul do Líbano para tentar impedir que os reféns sejam levados para o norte.Texto atualizado às 20h55

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.