Um político na mira do chavismo

O prefeito metropolitano de Caracas, Antonio Ledezma, iniciou a vida política no Partido Ação Democrática. O político nasceu em 1955 em San Juan de los Morros, Estado de Guárico, onde foi deputado em 1979.

O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2015 | 02h03

No começo dos anos 80, mudou-se para Caracas e em 1984 passou a ocupar uma cadeira na Assembleia Nacional.

Em 1994, foi eleito senador por voto popular. Dois anos depois, e até 2000, foi o prefeito de Libertador e se tornou o último opositor a governar o distrito, que desde então se mantém fiel ao chavismo.

Em 2000, Ledezma fundou o Partido Alianza Bravo Pueblo, que preside até hoje. Em 2008, se tornou prefeito de Caracas e ganhou notoriedade dentro do movimento opositor ao denunciar ações do Executivo nacional.

Reeleito em 2013, o político liderou, com Leopoldo López e María Corina Machado, o movimento "A Saída", que realiza protestos pedindo mudanças no governo. Ledezma passou então a ser criticado pelo chavismo, que não hesita em acusá-lo de golpista. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.