Um pouco da história inglesa na Índia vai a leilão

Toda uma parte da história inglesa na Índia está a venda. E por um preço de acordo com as circunstâncias: tesouros do império do Industão, butim levado à Inglaterra por Sir Robert Clive, o comandante britânico que conquistou a maior parte da Índia, devem arrecadar pelo menos 1,2 milhão de libras (R$ 5.743.000,00), quando forem leiloados, dia 27 de abril, segundo previsões da Christie?s de Londres.No meio da coleção, uma preciosidade - o frasco cravejado de rubis e safiras, do século 17, que deve ser vendido por pelo menos 1 milhão de libras (R$ 5.24.000,00). O frasco já fez parte da coleção da corte imperial em Délhi e foi provavelmente pilhado do imperador Muhammad Shah por Nadir Shah, um rei persa que invadiu a índia em 1739.Clive da Índia, como ele era conhecido, acumulou a coleção depois de uma série de campanhas culminando com a Batalha de Plassey, em 1757, que deixou quase toda a Índia sob controle britânico. Nunca se soube como Clive o adquiriu, mas provavelmente ele o conseguiu como butim depois de sua vitória sobre Siraj-ud Daulah, nababo de Bengala, em Plassey. O novo nababo, Mir Jaffir, se atirou sobre o tesouro e convidou o comandante inglês a levar o que quisesse.Até recentemente, o frasco estava em exposição no Victoria & Albert Museum, em Londres, para onde fora cedido por empréstimo desde o começo dos anos 60. Mas o museu diz que não planeja oferecer lances por ele, no leilão. Outras peças estiveram, também por empréstimo, no Museu Clive, no Castelo de Powis, no centro do País de Gales, que pertenceu à família mas é agora propriedade do National Trust.A coleção também inclui um cachimbo de narguilé incrustado de safiras que deve obter um lance mínimo de 80.000 libras (R$ 417.600,00), uma adaga decorada que pode alcançar 50.000 libras (R$ 260.000) ou mais, uma tigela de jade e um mata-mosca.Tudo está sendo vendido pelos descendentes de Clive. Mas a Christie?s não quis dizer qual o motivo que levou a família a decidir vender as peças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.