Um pouco de brasileiro na política italiana

Há um brasileiro entre os novosparlamentares italianos que tomaram posse ontem em Roma,entre muitas outras curiosidades e novidades da novaAssembléia. Renato Mosella nasceu em Porto Alegre, tem 44 anos, efoi eleito pela região do Lazio pela coligação "Paese Nuovo". Outra curiosidade está na diferença de idade entre osnovos parlamentares. Há 67 anos de diferença entre a parlamentarmais jovem, Chiara Moroni, do novo PSI (Partido SocialistaItaliano), e o mais velho, que é o senador vitalício FrancescoDe Martino, nascido em 31 de maio de 1907. Algumas das curiosidades estatísticas sobre a novacomposição, ainda incompleta, do novo Parlamento são asseguintes: no Senado, o mais velho é Fracesco Servello, nascido em 3 deoutubro de 1921; e o mais jovem é Giuseppe Valditara, nascido em12 de janeiro de 1961; na Câmara, o mais velho é Filippo Mancuso, nascido em 11 dejulho de 1922; e a mais jovem é Chiara Moroni, nascida em 23 deoutubro de 1974. Quanto às mulheres, sua presença foi reduzida. Porenquanto, as deputadas são em número de 64 e as senadoras, deapenas 25. O décimo-quarto Parlamento italiano foi bastanterenovado em relação ao precedente. São 188 novos parlamentaresno Senado e 250 na Câmara. Em relação às profissões, as mais comuns entre osparlamentares parecem ser as de médico e advogado, com aumentodo número de jornalistas. Os "estrangeiros", além do brasileiro deputado RenatoMosella, são De Brasi, nascido em Trazegnies, na Bélgica;Galvano, em Mattuglie, na ex-Iugoslávia; Jacini, em Lausanne, naSuíça; Mantovani, em Manresa, na Espanha; Minoli Rota, na Cidadedo México; Paoletti Tangheroni, no Cairo, no Egito; e Violante,em Dire Daua, na Etiópia. No Senado, a senadora De Zulueta nasceu em Bogotá, naColômbia, e Servello nasceu em Cambridge, Massachussets, nosEstados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.