Um suspeito da agressão a jovens no Iraque é preso

Um suposto implicado na brutal agressão de soldados britânicos a quatro jovens iraquianos em Basra, sul do Iraque, foi detido no domingo, informou nesta segunda o Ministério de Defesa britânico. "Realmente, efetuamos uma prisão relacionada às investigações do episódio", disse um porta-voz ministerial. Ele recusou-se a dar detalhes da operação ou identificar o suspeito. "A detenção ocorreu por volta de 22h18 de domingo (1h18 de segunda-feira em Brasília)", limitou-se a dizer.Denunciada pelo semanário News of the World, que publicou imagens tiradas de um vídeo, a agressão chocou a opinião pública britânica. O jornal não identificou a fonte, mas disse ter feito exaustiva checagem para confirmar a autenticidade do vídeo, exibido repetidas vezes no mundo árabe pelas TVs Al-Jazira e Al-Arabiya.O primeiro-ministro Tony Blair prometeu rigorosa investigação. "Levamos a sério qualquer alegação de maus-tratos e estas serão investigadas a fundo", disse ele. Ressaltou que a maioria esmagadora das tropas britânicas comporta-se adequadamente e faz um grande trabalho para a Grã-Bretanha e o mundo.Para a imprensa britânica, a exibição do vídeo deu "um grande presente" para os inimigos do país. Os jornais destacaram que o incidente deverá reativar em todo o território britânico a polêmica sobre o alinhamento da Grã-Bretanha com os Estados Unidos na invasão do Iraque e os danos causados por mais esse "lamentável episódio" à imagem do país.Em Bagdá, o presidente iraquiano, Jalal Talabani, condenou a agressão, classificando-a de injustificável. "Vindo das forças da coalizão, esse ato não pode ser aceito pelo presidente que tem por dever zelar pelo povo iraquiano", reagiu o porta-voz presidencial, Kameran Garadaghi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.