Uma pessoa sobrevive à queda de avião no Kentucky

O Corpo de Bombeiros de Lexington, no estado norte-americano de Kentucky, informou que há "fatalidades múltiplas" entre os 47 passageiros e três tripulantes do vôo 5191 da Comair, que depois de decolar na na manhã deste domingo, 27, do aeroporto Blue Grass com destino a Atlanta (Geórgia). Apenas um sobrevivente foi levado para o hospital da Universidade de Kentucky, em estado grave. A Comair estabeleceu uma linha telefônica especial para dar informações a parentes dos passageiros do vôo 5191. Os números são 1800 801-0088, para ligações feitas dentro dos EUA, ou 859 767-1500.A empresa está postando informações em seu site www.comair.com . Uma subsidiária da Delta, a Comair é uma das companhias que mais contribuíram para a expansão da aviação regional nos EUA a partir de 1993, quando entrou em operação."Não temos nenhum indicação que que isso (o acidente) tenha algo a ver com terrorismo", afirmou a porta-voz da Federal Aviation Administration, Laura Brown, em Washington. Segundo a Comair, o avião foi comprado em 2001, tinha 14.500 horas de vôo e estava com a manutenção em dia.O comandante, Jeffrey Clay, contratado em 1999, estava voando o aparelho sinistrado há várias semanas. O presidente da Comair, Don Bornhorst, disse, em entrevista coletiva, que a empresa está "está absolutamente comprometida a fazer tudo o que for humanamente possível para determinar a causa do acidente". A Associated Press informou que este foi o maior acidente de avião nos EUA dos últimos seis anos.O aparelho era um CRJ-200, construído pela empresa canadense Bombardier, principal concorrente da brasileira Embraer na venda de aeronaves usadas no mercado de aviação regional nos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.