Adriana Zehbrauskas/The New York Times
Adriana Zehbrauskas/The New York Times

Mais de uma semana após terremoto no Haiti, 24 pessoas são resgatadas com vida

Autoridades haitianas confirmaram que 20 adultos e quatro crianças foram encontradas na região de Pic Macaya, segunda montanha mais alta do país, entre as cidades de Les Cayes e Jérémie

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2021 | 16h18

Mais de uma semana após o terremoto que devastou o Haiti, 24 pessoas foram resgatadas com vida de escombros durante o fim de semana. Autoridades haitianas confirmaram que 20 adultos e quatro crianças foram encontradas na região de Pic Macaya, segunda montanha mais alta do país, entre Les Cayes e Jérémie - duas das cidades mais duramente atingidas pelos tremor. As informações são da TV americana WSVN, que tem base em Miami.

Ainda de acordo com as autoridades haitianas, citadas pela emissora americana, os sobreviventes foram retirados de escombros e imediatamente transportados em um helicóptero para receber atendimento médico.

O resgate acontece em um momento em que o número de mortos pelo terremoto de 14 de agosto chegou a 2.207, segundo balanço divulgado no domingo, 22.  "Novos corpos foram encontrados no sul. O balanço dos três departamentos já sobe para 2.207 mortos, 344 desaparecidos e 12.268 feridos", diz o relatório da Proteção Civil haitiana. A contagem anterior era de 2.189 mortos.

Cerca de 600 mil pessoas foram diretamente afetadas pelo terremoto de magnitude 7,2 e precisam urgentemente de ajuda humanitária. Levar comida e água para as pessoas afetadas é um desafio logístico em face dos ataques criminosos nas estradas. Desde o início de junho, é impossível percorrer com segurança o trecho de dois quilômetros da rodovia federal que corta a área de Martissant, um bairro pobre de Porto Príncipe, que se tornou um campo de batalha para gangues.

"Temos um problema de segurança que está cada vez mais evidente", disse à France-Presse Jerry Chandler, diretor de Proteção Civil do Haiti.

No domingo, um contingente de 32 bombeiros e cerca de 10 toneladas de ajuda humanitária partiram de Brasília rumo ao país caribenho para reforçar as ações de emergência. De acordo com uma nota do Ministério da Defesa, "quase sete toneladas de material e equipamentos de emergência" e "mais de 3,5 toneladas de medicamentos e insumos estratégicos" para situações de desastres, entre eles "macas, colares cervicais, biombos" e insulina foram enviadas.

Com destruição e danos particularmente graves em áreas rurais remotas, as autoridades haitianas estão se concentrando na entrega de ajuda humanitária por via aérea, por meio de um helicóptero da ONU e oito aviões fornecidos pelos exército americano.

O terremoto de magnitude 7,2 feriu mais de 12.000 pessoas, destruiu ou danificou mais de 100.000 casas e deixou cerca de 30.000 famílias desabrigadas, disseram as autoridades. Escolas, escritórios e igrejas - e até mesmo casas funerárias e cemitérios - foram demolidos ou muito danificados./ Com informações da AFP e AP

Tudo o que sabemos sobre:
Haiti [América Central]terremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.